The Crown T6 – Crítica Série

The Crown estreou a sua primeira temporada em 2016 e agora chega a uma conclusão em 2023 com a sua sexta temporada, dividida em duas partes e que disponibilizou finalmente os seus últimos 6 episódios.

Para quem já acompanha o The Golden Take há algum tempo, deve certamente saber o quão fã eu sou desta série. Não a descobri logo quando estreou mas assim que a comecei a ver agarrou-me inteiramente. Sempre tive uma certa curiosidade com a família real e poder ter um olhar sobre a história da mesma, mesmo que muitas vezes misturada com ficção, foi fantástico a meu ver. Ainda para mais com uma série sempre com grande excelência a nível técnico, fosse nos cenários, figurinos ou diálogos.

A última temporada da série levantava muitas questões porque deixou-nos a pensar até onde é que os criadores da mesma iriam, especialmente quando a morte da Rainha aconteceu ainda quando esta temporada estava a ser gravada, o que de certa forma, a meu ver, trouxe uma extra responsabilidade a Imelda Staunton ao interpretar o papel, uma vez que será das últimas grandes homenagens à Rainha Elizabeth II diria.

©© 2023 Netflix

Infelizmente, não posso dizer que tenha sido a minha favorita mas não vou negar que era a temporada mais complicada de todas porque ao entrar na história de Diana, sabemos o quão difícil pode ser tentar contar todas as versões da história sem ferir susceptibilidades de ninguém. Não sabemos até que ponto as coisas são reais, mas a primeira parte da série está maravilhosa e fez-me chorar muito, embora fosse muito pequenina quando a princesa morreu, ou seja, não tinha percepção dos acontecimentos como já tive com a morte da Rainha no ano passado.

A segunda parte acho que exigia altas expetativas por serem os últimos episódios mas também por sabermos que não íamos acompanhar tanto a história de William e Harry como acompanhámos da Rainha, do Príncipe Philip e do Príncipe Charles (atualmente Rei Charles III) e, como tal, a ligação acabou por não ser tanta na minha opinião.

Ainda assim, nota-se o esforço de contarem algumas histórias e alguns pensamentos da forma mais respeitosa que conseguiram e isso tem o seu mérito.

© 2023 Netflix, Inc. Justin Downing/Netflix

Não vou revelar nada sobre o final nem sobre esta segunda parte mas acho que, desta segunda parte, o último episódio foi sem dúvida o meu favorito. Não posso dizer que foi o que esperava, mas percebo a decisão e acabou por compensar o resto. Se há coisa em que a série não desilude é, mais uma vez, em todos os aspetos técnicos e já não existem muitas séries que o consigam fazer tão bem como The Crown.

Apesar disto, recomendo vivamente que vejam as seis temporadas de The Crown. As duas primeiras com o trabalho exímio de Claire Foy, a terceira e a quarta com a maravilhosa Olivia Colman e finalmente estas duas com a incrível Imelda Staunton. Três atrizes com um papel importante mas que o desempenharam da melhor forma possível e mereceram cada nomeação que lhes foi dada. Também Elizabeth Debicki como Princesa Diana esteve fantástica nesta temporada e isso já se reflete igualmente nas nomeações que está a receber.

Da minha parte, vou ter saudades de acompanhar a história mas bom, sempre há a vida real!

Posts relacionados

Godzilla x Kong: The New Empire – Crítica Filme

Desconhecidos estreia a 20 de março em exclusivo no Disney+

Os últimos destaques da 23.ª edição do MONSTRA