close
CríticasFilmes

“A Dog’s Journey”: A mesma fórmula resulta mais do que uma vez

“A Dog’s Journey” é uma sequela de “A Dog’s Purpose” e consegue ser um filme leve e divertido sobre um cão que só quer cumprir o propósito que o seu dono lhe deu.

A Dog’s Journey“, ou “Juntos para Sempre 2” traz-nos novamente a história de Bailey, um cão que tem inúmeras vidas que utiliza no primeiro filme para encontrar o seu dono Ethan e neste para cumprir um propósito que o mesmo lhe deu.

No fim do primeiro filme, Bailey (Josh Gad) e Ethan (Dennis Quaid) reuniram-se depois de vários anos afastados, e de várias vidas depois de Bailey, ao reconhecerem a brincadeira que faziam juntos quando eram mais novos.

Neste filme, já vemos Ethan casado com o amor da sua vida, Hannah, com o acréscimo de que agora são avós de CJ que vive com eles juntamente com a sua mãe Gloria, viúva do filho deles. Ela cede à pressão dos sogros de como lidar com a sua filha, agora que é mãe solteira, e acaba por sair da vida deles sem aviso para onde vai.

Ethan sabe/acredita que Bailey acaba sempre por voltar para ele, mesmo que no corpo de outro cão e antes de isso acontecer novamente, dá-lhe o propósito de ele proteger a sua neta CJ. É incrível ver como Bailey repete o processo inúmeras vezes e como chega mesmo a encontrar CJ e a fazer parte da vida dela (inúmeras vezes).

É certo que voltar a pegar na mesma fórmula e adaptá-la para uma nova história corria os seus riscos. Mas “A Dog’s Journey” até conseguiu interligar bem a vida de CJ com as inúmeras vidas de Bailey e como os dois acabavam sempre por se encontrar um ao outro, até ele guiá-la para o seu objetivo.

Toda esta narrativa em que vemos as coisas a acontecerem torna o filme bastante divertido e comovente porque vamos acompanhando vários arcos. Começamos por acompanhar a família deles, depois vemos como CJ lida com o facto da mãe a deixar sozinha e de como é assim que ela adopta a Molly para lhe fazer companhia quando o seu amigo Trent também adopta um cão.

Também temos as relações de CJ à medida que cresce, os seus amores e desamores e como vai escrevendo as suas músicas mas sem nunca querer tocá-las em público até que ganha essa confiança. Todo esse processo é feito com Bailey que a vai sempre incentivando/faz acontecerem-lhe coisas que vão ser passos para ela chegar à meta final: reunir-se com os avós.

Como já referido, é um filme leve, é um filme para rir e chorar, para não pensar muito e mais do que isso é um filme para darmos valor aos companheiros de quatro patas e a como eles conseguem ser fiéis até ao fim.

A nível de realização não se pode dizer que é espetacular mas soube lidar com duas histórias diferentes mas que acabam por se juntar sem se tornar confuso. O filme foi realizado por Gail Mancuso (Modern Family) e produzido por Gavin Polone, que realizou a prequela deste filme, A Dog’s Purpose.

É, em suma, uma longa-metragem para se ver em família ou com os vossos amigos de 4 patas que promete risos mas também algumas lágrimas vertidas, numa sequela que conseguiu pegar na história que a precedeu e adaptá-la a uma nova visão, fazendo com que a fórmula resultasse novamente.

Feliz Dia Internacional do Cão!

 

Review overview

Representação 5
Realização 4.5
Argumento 5
Fotografia 4.5

Summary

4.8 Rating

Tags : a dogs journeya dogs purposecãescríticafilme
Beatriz Silva

The author Beatriz Silva

%d bloggers like this: