close
Agora que nos aproximamos da recta final de Game of Thrones, as nossas emoções começam a ser arrancadas de nós sem nenhum pudor. Beyond The Wall é um episódio que faz sofrer com o presente mas também temer pelo futuro das personagens na derradeira temporada oito.

Antes de mais, aconselho a todas as raparigas a não irem à manicure antes de um episódio de Game of Thrones (a partir de agora, claro) porque, cada vez mais, os nervos dá para descontar nas unhas! Pelo menos eu desconto nas minhas.

Um apontamento antes de começar a falar deste episódio, relativamente ao genérico: Acho que já está na altura de meter um dragão em Dragonstone no genérico. A Mãe dos Dragões está finalmente lá. Tipo. E já que falamos disto, mudar para o leão em Kings Landing. Pormenores. Adiante.

O episódio começa por uma passagem maravilhosa a abrir pelo mapa que está em Dragonstone em que conseguimos perceber a distância gigante que está entre os sítios, o que se faz duvidar muito da capacidade de teletransporte ultimamente das personagens.

A verdade é que à medida que nos aproximamos do fim da sétima temporada, toda a gente parece voar de um lado para o outro. Olhem só para o Jon. Estava na Muralha, foi para Winterfell, depois para Dragonstone, agora está em Eastwatch… Isto tudo em menos de uma temporada. As coisas parecem estar a acelerar demasiado e temos de parar para pensar se isto está a fazer sentido. E deixem-me que vos diga que esta excursão não fez tanto sentido a não ser por uma coisa mas adiante.

O Suicide Squad chegou bem rápido ao outro lado da Muralha… E o Tormund acha que Winterfell pertence ao Sul. Oh dear.

Houve mais uma referência relacionada ao orgulho de Mance Ryder e aos que morreram por causa disso, porque ele nunca se ajoelhava. Também Jon foi questionado por Dany em relação a isso. E agora Tormund lança a mesma pergunta retórica a Snow. Coincidência? I don’t think so. Porque é que o orgulho de se ajoelharem perante outra pessoa tem de ser maior do que a sobrevivência dos seus seguidores?

Já que estamos na onda de voltar atrás e a perceber vinte minutos a ter conversas cruzadas entre o SS, mais um throwback à temporada 3 quando Melisandre tirou sangue a Gendry com sanguessugas para o Stannis queimar enquanto dizia o nome de quem estava contra ele. Eish, já não me lembrava disto. Mas Gendry lembra-se bem e ainda guarda rancor porque o que ele queria mesmo era pertencer à Brotherhood without Manners… ups, Banners.

“Não te matou pois não? Porque é que estás a fazer queixinhas? Este foi morto seis vezes [Berric] e não o ouves a queixar-se” – BURRRRRRRRRN. The Hound is on fireee. 

Já só cá faltava o momento nostálgico entre o Jon e Jorah que em vez de falarem sobre quem é que vai ficar com a Khaleesi, só sabem falar do pai do Jorah. Daddy issues aqui a acontecer e nós a levar com eles.

Voltamos a Winterfell. Por um momento achei que a Arya ia ser fofinha com aquela conversa toda sobre o pai e a lembrar-se de como era quando eles estavam todos e casa mas depois aparvalhou como tem sido habitual. Não sei porque é que ela foi sequer para ali se era para isto, especialmente com a irmã a acusá-la de traição à família. Todos sabemos que ela é sonsa mas enough is enough. E realmente, há que admitir que tudo o que a Sansa passou não foi pêra doce… mas daí a querer que agora todos se ajoelhem e que lhe agradeçam… Keep calm. Ganhaste uma batalha, não ganhaste o trono. Para além de que a Arya também sofreu coisas inimagináveis.

Arya, não te atrevas a dizer o nome da Lyanna Mormont em vão!

E eis que voltamos ao nosso gang do momento numa conversa inédita. O Tormund desconhece a palavra “pila” (que momento super relevante neste episódio) mas vemo-lo a falar mesmo à selvagem mas de uma maneira qb carinhosa de Brienne enquanto o The Hound ainda se coça a ouvir o nome dela da raiva que tem. Opá, o Tormund quer ter filhos com ela. Ai por favor, façam isto acontecer!!!

Não te pareces muito com o teu pai. Deves sair à tua mãe!” – Oh Berric, nem sabes o quanto tens razão. 

Adoro a relação entre a Dany e o Tyrion. Parecem mesmo irmãos. (Oh wait!) E ela é tão fofa quando tenta dizer o nome do Snow com indiferença até que Tyrion lhe diz que Jon se apaixonou por ela.

“É demasiado pequeno para mim” – Um homem não se mede aos palmos, Dany! 

Finalmente, começa um pouco de acção neste episódio. Passo a transcrever a minha reacção neste momento: Como assim um urso? Como assim eles têm um urso? Gendry, que pergunta estúpida, achas que os ursos tem olhos azuis?????? RUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUN. Mas de onde é que este urso sai??? Sai da frente, Sandor!!! AI O THOROS NÃO. STUPID SANDOR, NÃO FAZES NADA ENQUANTO O OUTRO É COMIDO VIVO????? ELE VAI CAUTERIZAR AQUILO ALI? DAMN. Ao menos se morrer vai bêbado. 

Para quem eventualmente se riu, não teve piada nenhuma no momento.

We return to Winterfell, para meu desgosto. Este Littlefinger continua a mentir com todos os dentes que tem na boca e a Sa/onsa continua a querer saber dos conselhos dele. Típico, mas tipo, decide-te. 

Sou só eu que já não tenho paciência para o Littlefinger e o quer morto mas que ao mesmo tempo está num dilema porque acha que ele ainda vai ser importante? E agora começou a meter ao Brienne ao barulho? I HATE YOU. 

Uma constatação breve, agora que eles decidiram atacar os mortos: Os White Walkers são todos feios. Mas a sério, o que é isto de o principal morre, e todos morrem? Menos aquele que eles capturam? A sério? Sim, pode ter sido criado por outro White Walker mas se todos ali morreram… Realismo, por favor, eu sei que isto já tem mais ficção do que outra coisa mas não sejamos previsiveis e irrealistas.

BTW, o Hound foi mordido! Será que isto agora vai virar The Walking Dead em que um morto morde e há toda uma infecção? Parece-me mesmo. E como assim, Jon, acabaste de mandar o Gendry enviar um corvo à Dany? A sério? Nem sei porque é que uso SMS hoje em dia, os corvos chegam muito mais rápido.

E pronto, ficaram cercados. Oh Jon, tu não aprendes, já é a segunda vez que ficas rodeado sem saída. Que situação chata, agora só podemos esperar que o Forrest Gendry cumpra a sua parte.

RIP Thoros de Myr. 🙁

Toda uma disputa entre Dany e Tyrion. Ultimamente, isto tem sido mais recorrente. Enquanto ele tem razão sobre ela não poder morrer, ela sabe que uma verdadeira rainha é a primeira a lutar quando é para proteger os seus. E é impossível não querer ver aqueles três dragões maravilhosos a voar.

SANDOR, PODES PARAR DE SER UM IDIOTA E DE MANDAR PEDRAS AOS WIGHTS? Jeez. São só milhares de wights, que diferença faz? É só a vossa sobrevivencia que está em risco. 

Aquele curtiu mesmo do The Hound.
Oh dear, são imensos… Stupid Sandor.
Fall back?? Para onde, Jon??? Tás burro???
O TORMUND É QUE NÃO!!!!! ELE TEM DE CASAR COM A BRIENNE E TER FILHOS COM ELA! Finalmente, Clegane, fizeste alguma coisa de jeito. Também já estava na hora.

E quando tudo estava perdido… E já não sabiam para onde se virar… UM DRAGÃO SURGE NO AR. E DEPOIS MAIS DOIS. BURN THEM ALL. Aquele momento em que percebes que é a segunda entrada fenomenal da Mãe dos Dragões nesta temporada. Valeu tanto a pena a espera.

Passo a transcrever a minha terceira maior reacção neste episódio quando o Night King decide intervir na brincadeira:

O QUE É QUE VAIS FAZER COM ESSA LANÇA? EXCUSE ME?? LARGA JÁ ISSO!!! AI, ESTÁS A FAZER MIRA AO DRAGÃO PORQUÊ? E PORQUE É QUE NÃO TE QUEIMAS A ANDAR POR CIMA DAS CHAMAS? ÉS UM TARGARYEN? NÃO, O VISERION NÃO! Dany, estamos todos contigo. Rhaegal, I choose you!!! Não, o dragão caiu na água…. Odeio-te!!!! BURN THEM ALL!!!!!!!! POOR DANY. NINGUÉM QUER ACREDITAR NO QUE ESTÁ A VER. NEM ELA. É O BEBÉ DELA. E ELA NEM ACREDITAVA NESTES GAJOS. JÁ NÃO DÁ PARA ESCREVER SEM CAPS.

Um detalhe que muitos podem não ter apanhado, vê mais aqui.

A cara do Jon depois disto é o melhor, quando ele todo enraivecido mesmo com uma expressão do género “Mataste o bebé da minha miúda” continua a matar os wights até ficar de frente para o Night King. Estes dois trocam sempre olhares muito intensos. E de todas as vezes, o Rei parece reconhecer Jon e não faz nada quanto a isso.

Hey Mister, pousa essa lança, não vais matar dois dragões! Dany, pára de olhar para o Jon dentro de água e foge masé daí. E neste momento estou só muito proud porque finalmente o Drogon aprendeu a desviar-se da lança. 

Há quem diga que o olho da Longclaw mudou de cor quando o Jon saiu da água mas claramente que o warg não vai para objetos. Também há quem diga que foi o olho do lobo a abrir. Opá, prefiro não acreditar que há assim tantos easter eggs quanto isso, apesar de sabermos que tudo é possível aqui.

Benjen be like “Não vou morrer totalmente durante 7 temporadas para ter agora uma morte heróica e desnecessária porque me armei em Leonardo DiCaprio no Titanic e não quis subir com o Jon para o cavalo quando tinha tempo suficiente para o fazer” – esta malta está com as lógicas muito trocadas. 

Tanta coisa para levarem um morto. Conseguimos perceber o que se está a passar aqui, certo? Perdemos um dragão para isto. Não consigo também perceber como é que a Daenerys está mais preocupada com o Jon do que com o filho dela que acabou de morrer à sua frente. És a Mãe dos Dragões, lembras-te disso? O Viserion acabou de morrer, deita uma lágrima, pelo menos.

Há, entretanto, todo um momento super creepy em que Sansa descobre as caras da Arya (e toca naquilo, blec) e depois de uma conversa em que, resumindo, ameaçou a irmã de que lhe ia tirar a cara, deu-lhe o punhal do Littlefinger. A família Stark está toda possuída e ninguém sabe e a Arya ainda não percebeu que o jogo das caras não é o “Eu Nunca” e que é apenas ridículo.

Mas pronto, o Jon está vivo, todos estamos felizes, vamos esquecer os psycho dos Stark. Eu era contra isto, mas tenho de admitir que a Dany e ele ficam muito fofinhos juntos. Ela está à espera que ele acorde, ele trata-a por Dany, ela não gosta e é aí que ele lhe chama “minha rainha” e, curiosamente, diz que se vai ajoelhar na ÚNICA ALTURA EM QUE NÃO PODE FAZÊ-LO. Clever man, ficas bem no papel sem teres de executar o acto (não nos esqueçamos daquele momento em que a Dany realmente percebeu que ele levou uma facada pelo seu povo). 

Não sei se concordo com a rápida cedência de Jon a ajoelhar-se mas por outro lado, acho que ela não lhe podia dar maior prova de confiança ao sair com os dragões para enfrentar algo que não acreditava e acabar por ter a maior perda de todas. Opa é triste mas ela têm razao. Ela teve de ver para acreditar.

Meanwhile in Eastwatch… onde é que estes arranjaram estas correntes?

Mas se pensarmos bem, agora é que as coisas vão ficar negras para o lado dos vivos. Os mortos têm um exército gigante, têm gigantes, têm um dragão. Vão dar cabo dos vivos num instante se estes não se unem rápido. Mas não é já que vamos ver a grande batalha a acontecer, mas sim na temporada oito, como já estávamos à espera.

Para ajudar o tempo a passar até ao episódio final, fiquem com a promo do episódio 7 e com o behind the scenes da luta no lago:

 

 

 

Tags : beyond the walldragon fallsepisode reviewgame of thrones season 7 episode 6HBOjon and khaleesimother of dragonssansa and aryasuicide squad HBOviserion
The Golden Take

The author The Golden Take