close

A batalha de Winterfell acabou e como já era de prever, temos um episódio mais calmo, mas que teve muito para contar. “The Last of the Starks”, nome do quarto episódio desta temporada de Game of Thrones já foi para o ar.

  • A despedida e a vitória em Winterfell

É o momento de nos despedirmos de vez de todos os que caíram na batalha de Winterfell e com isto vamos tendo várias personagens que se despedem individualmente: Dany dá o seu último adeus a Jorah, Sansa de Theon, e quando todos agarram numa tocha, vemos Arya a olhar para Berric, Sam para Edd e Jon para Lyanna Mormont.

Cada uma destas pessoas salvaram de certa maneira quem ainda está vivo: Jorah salvou inúmeras vezes Dany pelo grande amor que tinha a ela; Theon salvou Sansa de Ramsay; Berric morre para Arya cumprir o seu destino; Edd ajudou Sam com os wights e acabou por ser morto; e Lyanna Mormont era quem mais acreditava no Jon como Rei do Norte (e poderá ser também a representação de outra Lyanna, a sua mãe).

Khaleesi num ato de boa fé (ou simplesmente de estratégia), declara Gendry filho legítimos de Robert Baratheon e nomeia-o “Senhor de Ponta Tempestade”. Dany diz a Tyrion que “ele não é o único inteligente” (estes manos são incríveis! #teorias) mas Sansa parece chocada e desconfiada com o que acaba de ver. E não é a primeira nem vai ser a última vez que Sansa desconfia de Dany.

Tyrion em conversa com Sir Davos chega a uma conclusão interessante. Ele diz “Derrotámos os mortos, mas ainda temos de nos enfrentar uns aos outros” e às vezes enfrentar os vivos é sem dúvida mais complicado tendo em conta as guerras todas que se geram só por um trono.

Jon e Dany trocam os seus olhares mesmo à pombinhos apaixonados e com ela a perceber que todos ali adoram Jon e que não gostam muito dela, mesmo depois dos seus gestos.

*E AQUELE COPO DO STARBUCKS ALI NO MEIO DA CENA EM WINTERFELL?*

Até que Tormund está a elogiar Jon e sai-se com a pior frase que podia dizer perto de Dany… “Quem é que monta um dragão? Só um louco ou um rei!”. Isto relembra-a logo da questão toda do trono e de Jon, visto que ele é o rei legítimo e é assim que todos o vêem o que também significa que ela pode ser vista como a louca, que até vai muito em linha com o que se passa neste episódio, mas já lá vamos.

Há ali também olhares MUITO intensos entre Brienne e Jaime que estão a jogar ao jogo de bebida de Tyrion, já tão bem conhecido da 1ª temporada com Shae e Bronn e mais tarde com Missandei e Grey Worm. Há perguntas que não se devem fazer à frente, especialmente, da pessoa que se gosta e como tal ela sai chateada. Como era de esperar.

Mas isto também faz com que Jaime siga Brienne até ao quarto e entretanto a coisa dá-se. Ao início estranhamos, mas depois lá vamos ficando contentes por estes dois terem uma oportunidade no amor.

Sansa e The Hound têm uma conversa quanto basta profunda quando ele lhe diz que ela antes nem conseguia olhar para ele, ao que ela responde que já não é um passarinho como ele sempre gostou de lhe chamar.

Gendry entretanto lá encontra Arya que preferiu estar a disparar setas, conta-lhe da boa nova, beija-a e pede-a em casamento para que ela se torne senhora de Ponta Tempestade. DEMASIADO RÁPIDO, GENDRY. Ela rejeita o rapaz à grande porque diz que não faz parte dela ser uma senhora, como já tinha dito ao pai na primeira temporada. Havia de ser engraçado vermos Arya agora depois de tudo a virar uma lady.

Dany também vai até ao quarto de Jon e os dois beijam-se o que não faz propriamente confusão a ela visto que cresceu a ouvir que os Targaryen envolviam-se entre si mas para ele é estranho, então interrompe. Ela pede-lhe que não conte a ninguém quem é, mesmo depois de ele lhe dizer que não quer o trono para nada e diz-lhe que pelo menos tem de contar às irmãs Arya e Sansa (recuso-me a dizer às primas).

Quando Dany percebe que nem que ela implore, ele muda de ideias, tem ali um pouco de viragem em que claramente notamos que ela não está para alinhar na fantasia de Jon de que todos vivem juntos bem se elas souberem quando ela sabe perfeitamente que isso não vai acontecer. E não, a Dany não é a má da fita aqui. O Jon é que claramente ainda vive iludido.

Há um teaser de que Yara está do lado de Dany, o novo príncipe de Dorne também e as decisões “inconscientes” de Dany começam aqui quando ela decide avançar já sobre Cersei em vez de esperar que todos recuperem.

Bronn chega a Winterfell com a sua enorme besta, com a qual Joffrey matou Ros e Tyrion matou o pai, e senta-se com os dois irmãos Lannister, interrompendo o seu momento, para lhes dar a oportunidade de dobrarem o preço de Cersei, chegando mesmo a dar um grande murro no nariz de Tyrion. Estão a imaginar Bronn como o Senhor de High Garden?

  • Segredos… que deixam de ser segredos em 5 minutos

Sansa, Bran e Arya decidem falar com Jon em Godswood e expressam falta de confiança em Dany. Bran ainda assim deixa nas mãos de Jon a escolha de contar às irmãs quem é realmente… E ele acaba por dar o aval a Bran para ser ele a contar.

Continuo sem perceber porque é que cada vez que vamos a saber mais sobre este assunto, cortam a cena. Foi só a maior revelação de um dos episódios da temporada 6 mas tudo bem.

Escusado será dizer que um segredo que Ned Stark escondeu durante décadas, em cinco minutos Sansa conta tudo a Tyrion quando eles falam sobre ela ter de se reconciliar com Dany para criar boas relações entre o rei e o Norte.

Mas Sansa é esperta, ou pelo menos aparenta. Ela sabe o que é que uma informação destas pode causar, os problemas que poderão existir quando se souber e sabia principalmente que Tyrion não ia resistir sem contar a Varys, que se demonstra preocupado com os próximos passos da Mãe dos Dragões, resultando num diálogo muito interessante entre os dois conselheiros.

Vemos aqui um pouco de Cersei em Sansa, visto que ela está a jogar aqui com as peças que tem mas também um pouco de Littlefinger, com toda a manipulação e a aplicar alguns ensinamentos dele e é aqui que também percebemos o quanto ela tem evoluído. Embora continue sem fazer grande coisa na verdade.

Jon segue com Sir Davos e com os Unsullied para Kings Landing a cavalo e no momento da despedida, Tormund confessa que vai regressar para lá da muralha e Jon pede-lhe para levar Ghost com ele (ao que parece, o pobre lovo perdeu uma orelha).

Jon é incapaz de ir dar um abraço ao lobo ou qualquer coisa. Claro que ficamos revoltados com isto, visto que Ghost sempre esteve do lado do dono e ele não lhe dá um carinho em cena há montes de temporadas!! O QUE É QUE O ANIMAL FEZ DE MAL?

Sam e Gilly vão ser pais, o que é um momento muito fofo (Sam merece um adeus, mas o Ghost não, atenção!).

  • Rumo a Kings Landing

Com a sua estratégia definida sem Dany ceder, seguem para Dragonstone e percebemos que há uma emboscada quando vemos Rhaegal a ser atingido MAIS DO QUE UMA VEZ, sendo que a vez em que nos dói mais é quando a seta atravessa o pescoço dele e ele cai morto no oceano.

Se era prevísivel esta emboscada de Euron Greyjoy? Era. Ainda para mais agora que ele tem bestas mais pequenas criadas por Qyburn. Se é triste? Muito, porque agora só nos resta um dragão. Que foi morto num estalar de dedos.

A frota de Dany é abatida e quando vamos a ver, ninguém sabe de Missandei, que descobrimos que foi capturada quando percebemos que Cersei colocou inocentes dentro da Fortaleza Vermelha e quando ela conta a Euron que o filho é dele (que todos sabemos que NÃO É).

Podia haver muita gente para raptar mas a Missandei é um simbolismo da última gota de água que Dany está para aceitar.

Varys implora a Dany que não se transforme numa tirana mas Dany está tão cega de raiva que continua a tomar más decisões. Vão negociar com Cersei, sendo Tyrion e Qyburn os mediadores ( porque são as Mãos das Rainhas) mas a negociação não dá em nada e Tyrion tenta chamar a atenção da irmã, indo falar diretamente com ela.

É curioso também perceber que embora Cersei deteste o irmão, dá-lhe sempre uma oportunidade para ele falar com ela. Ele diz-lhe que ela sempre amou os filhos e para ceder pelo filho ainda por nascer.Espero que o Euron prove que não é burro nenhum e que chegue a uma conclusão com esta timeline do bébé.

Quando pensamos que Cersei vai ceder, ela manda Missandei dizer as últimas palavras que são “Dracarys“, e depois é decapitada. Cersei nunca iria ceder facilmente. Como ela disse a Ned, neste jogo dos tronos, ou se ganha ou se morre e como tal, Cersei vai fazer tudo para ganhar, mostrando também que é uma pessoa totalmente diferente de quando a conhecemos na temporada 1.

Missandei sempre foi fiel a Khaleesi e elas eram como melhores amigas. Grey Worm fica de rastos mas Dany muda de expressão naquele preciso segundo para uma fúria que vai crescendo e é aí que entendemos que temos de começar a temer a Mãe dos Dragões, especialmente agora que ela já perdeu praticamente tudo: o seu marido, os dothraki, metade dos Unsullied, dois dos seus dragões, Jorah Mormont, poderá perder Jon e o trono e agora Missandei.

Conseguimos notar alguns laivos de loucura num sentido em que ela está tão furiosa que provavelmente poderá cometer um grande erro no próximo episódio inspirado por todos estes acontecimentos. Missandei quando enunciou aquelas palavras estava basicamente a dizer a Daenerys para queimar tudo e todos. E se Dany se lembra de queimar a capital com os inocentes lá só para derrubar Cersei e conseguir o trono, muitas pessoas se vão virar contra ela e muita coisa pode acontecer a partir daí.

Não foi um episódio extraordinário mas já conseguimos perceber que tanto Cersei como Dany estão super determinadas em relação ao trono de ferro, sem pensarem bem nas consequências. O que acharam do episódio? Quais são as vossas teorias para o próximo episódio? Acham que a Daenerys vai virar uma Mad Queen como o pai?

Tags : cersei lannistercríticadaenerys targaryenepisódio 4game of thronesjon snowlannisterreaçõessansa starkstarktargaryentemporada 8the last of the starkswinterfell
The Golden Take

The author The Golden Take