close

Eastwatch revelou-se um episódio com muito suspense mas sem grande acção como era de esperar. Apesar de tudo, as teorias são cada vez mais depois deste quinto episódio de Game of Thrones, especialmente com a chegada ao final da temporada daqui a dois episódios.

Daenerys dá uma escolha ao exército Lannister e Jon conhece Drogon

Depois da vitória sobre o exército de Jaime Lannister, este consegue sair da água (e apercebemo-nos que foi, realmente, Bronn quem o salvou) e Dany continua a dizer que não vem para matar ninguém e que isso é Cersei style.

Porém, dá ao exército Lannister apenas uma escolha: Ajoelhem-se e juntem-se a mim ou recusem e morram. Tudo isto com o seu huge dragon atrás dela. Quem é que ia ser o maluco que não se ia ajoelhar depois de ver o que o dragão fez só com um bafo? Ah wait… houve dois malucos: Randyll Tarly e Dickon Tarly. Depois de se imporem perante Dany, foram desta para melhor tostadinhos. E assim duas grandes casas foram destruídas em dois episódios. Mas todos os outros ajoelharam-se, claro. Mas como é óbvio, Tyrion não gostou muito da cena e decidiu só sair dali.

Mais tarde, vemos Daenerys a chegar a Dragonstone com Drogon e a aterrar perto de Jon Snow que, ao ver o dragão tão perto, arrisca a tentar dar-lhe uma festinha como se de um cão se tratasse em que o único risco seria só ele morder-lhe. Claro que a Khaleesi fica só muito intrigada quando isto acontece. Mas como ele é um Targaryen (e espero ver esta teoria confirmada muito em breve), sabemos que é normal e até já era algo que queríamos ver há muito tempo, depois de termos visto Tyrion a libertar Viserion e Rhaegal na sexta temporada e dá-lhes festinhas. E com nenhum dos dois, os dragões sentiram qualquer medo porque são capazes de reconhecer o sangue Targaryen. Espero muito que também possamos ver rapidamente a profecia das três cabeças de dragão a ser revelada.

No meio desta cena toda, Dany continua desconfiada com o facto de Jon ter levado uma facada pelo povo e volta a insistir em saber se isto é verdade mas Jorah vem salvar o momento com a sua aparição, recebendo um abraço e tudo da Khaleesi. Well done, Jorah! Mas continuas na friendzone…

 Bran vê o Night King a aproximar-se e as irmãs Stark voltam ao mesmo

Depois de ver o Night King, através de um warg nos corvos que sobrevoam para lá da Muralha, Bran decide avisar quem pode sobre o acontecimento, incluindo Jon Snow e os meistres na Citadela, mas já lá vamos.

Quanto às irmãs Stark, Arya continua a acreditar que Sansa gosta de estar no comando e que sempre gostou de coisas luxuosas para claro que a Lady Stark acha isso ridículo. Faz lembrar quando elas andavam sempre às turras na primeira temporada.

Mas Arya está desconfiada ainda mais de outra pessoa: Littlefinger. Ela vê-o a conversar secretamente com várias pessoas e a receber um pergaminho que escondeu no quarto especialmente para incriminar Arya, porque ele sabia que ela estava à espreita. O pergaminho era uma mensagem de Sansa para Robb, na altura em que ela estava ainda em Kings Landing, pedindo-lhe para ele se ajoelhar perante o Joffrey, logo depois de Ned Stark ter sido considerado um traidor e estar prestes a ser executado.

Não sabemos quais são os planos do Littlefinger mas acho que também não vamos gostar.

Com o bilhete de Bran, Jon fica a saber que tanto ele, como Arya estão vivos e fica ainda mais preocupado com o exército dos mortos a vir. Todos decidem que devem pedir tréguas a Cersei mas tendo apresentando-lhe um dos White Walkers como prova. Claro que para isso é preciso alguém ir buscá-lo e tanto Jorah como Jon se oferecem para tal, Khaleesi cede à ideia apesar de, deep down, não gostar muito dessa situação e Tyrion oferece-se para ir falar com Jaime sobre isto. Gendry junta-se aos double J’s na missão.

Sir Davos leva o anão até Kings Landing e enquanto Bronn leva Jaime até ao irmão, ele vai buscar uma personagem que há muito queríamos voltar a ver: Gendry. Ele já está pronto a partir, porque apesar de ele estar debaixo dos narizes dos Lannister e ninguém reparar nele, não está em segurança. E está tão mais crescido! Claramente remar durante tanto tempo fez-lhe bem. E olhem que habilidoso que ele está com o martelo dele!

Já na Citadela, Sam ainda está a bater com a cabeça porque os meistres não acreditam que vêm aí um exército de mortos e enquanto isto, Gilly lê uma das frases mais importantes do episódio e, talvez da temporada, quando se refere à anulação do casamento do príncipe Rhaegar (que ela pronuncia Ragger mas todos sabemos de quem ela está a falar). E como sabemos, Rhaegar estava apaixonado por Lyanna Stark que todos acreditamos que é a mãe de Jon Snow. Logo isto faz com que seja Jon o herdeiro legítimo ao trono! E O SAM PRATICAMENTE IGNOROU ISTO.

Cersei continua a achar que o ouro compra vitórias

Temos muito que falar sobre Cersei e a sua revelação. No início do episódio. quando Jaime lhe diz que praticamente morreu na batalha e que não há nada a fazer contra os dragões, nem mesmo a super lança de Qyburn funcionou, e que eles destruiram tudo em pouco segundo, Cersei rapidamente lhe diz que têm ouro e que podem comprar mercenários. Really? Ainda agora recebeste o ouro e já queres contrair novas dívidas? E contra dragões? A menos que tenhas uma arma melhor do que aquela lança, é melhor ficares quietinha aí. É aí que ela se refere a Tyrion mais uma vez como o assassino de Joffrey ao que Jaime lhe conta que foi Olenna, apesar de ela praticamente não acreditar, porque é mais fácil culpar o irmão.

Apesar do que Jaime achava, não deu nenhuma novidade à irmã quando lhe disse que se encontrou com Tyrion que lhe passou o recado que Daenerys quer tréguas para combaterem os White Walkers juntos. Ao que Cersei revela que está grávida. Como assim está grávida? Vamos por favor falar disto? Para além de ir contra a profecia, pareceu só muito conveniente ela dizer aquilo naquela altura, logo agora que Jaime se podia virar contra ela.

O Suicide Squad da HBO

Jon e Jorah chegam à Muralha e encontram-se com Thormund para lhe explicar a situação (é só muito funny quando ele pergunta pela “Mulher Grande”) ao que ele diz que não são os únicos a querer cometer a loucura de ir para lá da Muralha novamente.

Com isto vemos o The Hound e a Brotherhood que explicam que eles não querem, mas têm de ir contra o exército dos mortos e como tal, formam todos um grupo de modo a poderem ter mais chances de sobrevivência, o que me parece um pouco complicado tendo em conta que são quase dez gatos pingados contra um exército gigante, mas é super curioso ver todas as personagens que estão juntas a lutar por um único objetivo. Esperava ter visto mais acção nesta parte, provavelmente uma luta, ou algo do género, mas não aconteceu porque praticamente andaram a “engonhar” um episódio inteiro.

Faltam apenas dois episódios para a sétima temporada acabar e ambos vão ultrapassar uma hora de exibição. Ficamos a aguardar o que virá daí com a esperança de que ainda vamos ver muito sangue a ser derramado mas também algo inédito nesta história da guerra dos tronos.

 

 

Tags : brotherhoodcersei pregnantcríticaeastwatchepisodegame of thronesgame of thrones season 7 episode 5HBOjon khaleesi and tyrionjorah mormontrevelationsreviewsuicide squadtarlytv showstyrion and jaime lannisterwhite walkers
The Golden Take

The author The Golden Take

Leave a Response

%d bloggers like this: